Morin

Acaso

Esse mundo está condenado ao acaso, a viver do acaso, ele se organiza e se estrutura para suportar o acaso. Todas as atrações físico-químicas são feitas para compensar o acaso, resistir ao acaso; toda a organização biológica é feita para se desenvolver no acaso, é por isso que a mensagem genética está fechada como um tesouro num cofre do qual se jogou fora a chave; é por isso que os soma são perecíveis e feitos para morrer, é por isso que existem milhares e milhares de sementes, espórios, espermatozoides, ovos... mas então o que é o Acaso? Não é a emanação, a aparência, o signo  do primeiro fenômeno (indeterminação? Acidente?) sobre e contra o qual as ordens (ou seja, as regularidades ) se constroem?
É preciso refletir sobre o acaso, agora que os cientistas o aceitam como um dado, e que os filósofos o expulsam.
Diário da Califórnia, 1970, Éditions du Seuil. Tradução livre Nurimar Falci, São Paulo, 2001.

 “O acaso ou alea constitui uma dimensão presente em todas a formas de desordem. O pensamento biológico contemporâneo descobriu sua irredutibilidade e sua amplidão na organização viva.
- a origem da vida não pode ser concebida sem encontros aleatórios; (...)
- toda inovação evolutiva( mutação genética) comporta intervenções do acaso;
- o ser vivo é um ‘gerador de acaso’: seu computo trata do aleatório (acontecimento) e gera o aleatório (decisão);
- toda organização sexual comporta e utiliza o acaso (o encontro entre o macho e a fêmea até a combinação dos dois patrimônios hereditários), e é o acaso que leva ao indivíduo a sua singularidade genética;
- toda estratégia utiliza e produz o alea * (estratégia ao acaso das defesas imunológicas; pesquisa ao acaso, ensaios e erros, movimentos aleatórios dos comportamentos animais);
- toda atividade neuro-cerebral comporta constitutivamente o acaso (estabelecimento das ligações sinápticas, ‘ruidos’, associações do acaso e com o homem, sonho, imaginação, invenção);
- liberdade de criatividade são inconcebíveis sem a aptidão do uso do acaso.”
O Método, t.2. A vida da vida. Éditions du Seuil, Paris, 1980. Tradução livre de Nurimar Falci, São Paulo, 2001.

Escreva sobre Acaso

Digite o resultado da operação matemática abaixo:



Resultado

mais recentes

o que é?

A seção círculo poético é a espinha dorsal deste site. 64 palavras-chave foram selecionadas pela pesquisadora Nurimar Falci, sob orientação de Morin, para proporcionar um acesso inusitado, lúdico e participativo à obra do pensador francês. As palavras são associadas aleatoriamente aos 64 cubos que formam um cubo maior: clique em "índice" para visualizar a disposição espacial das palavras.

Através do "console" (no canto superior direito, abaixo da faixa vermelha) você poderá navegar para as 6 palavras que fazem "fronteira" àquela em que você se encontra.

Leia o texto de Morin, e escreva sobre a palavra-chave que despertar seu interesse...

cima tras dir esq baixo frente
forma