Morin

Cinema

“Pertenço, é certo, a uma das primeiras gerações cujas formação é inseparável do cinema”
O cinema ou o Homem imaginário, Portugal: Relógio D´Água, 1997.

“Desde minha mudança para Ménilmontant tinha-me tornado um cinéfilo. O cinema era a gruta dos Mistérios iniciáticos para minha geração. Ao nos transportar a um estado semi-hipnótico, o cinema nos iniciava em uma vida superior, mágica, sublime. Ele nos projetava na Antigüidade, nas Cruzadas, nas guerras do passado, no submundo do crime, na África das explorações ao som de tambores, na Ásia das salas de jogo e dos amoks, nas tragédias amorosas, no adultério, no amor. Ainda que fantasmagóricas, as imagens da tela davam vida a seres hiper-reais.
Meus Demônios, Editora Bertrand Brasil, 1997.

“Creio ter mantido, ao longo deste livro, a interrogação, isto é,  espanto, a surpresa, o fascínio: não cedi à tentação de achar o cinema evidente, normal, banal, funcional... Pelo contrário, senti até o fim o que ressentiram os espectadores dos primeiros espetáculos dos Lumière, dos primeiros filmes de Méliès. E não é só com a maravilhosa máquina de captar e projetar imagens que eu me espanto: é também com esse grande mistério, com esse continente desconhecido da nossa ciência, que é a nossa fabulosa máquina mental’. (1977)
O Cinema ou O homem imaginário, Relógio d´Água, Portugal, 1997.

“Aprendemos o que significam as relações humanas também através de filmes. À mesa discutimos MATRIX e tínhamos opiniões diferentes sobre esse filme. É interessante notar que o filme promove um momento de reflexão, de encontro e de reconhecer a si mesmo, o que no fundo é muito bonito porque é verdadeiro”. 28/08/99 São Roque, São Paulo, Edgar Morin. Seminário Sesc – Cultura e Sociedade.

Escreva sobre Cinema

Digite o resultado da operação matemática abaixo:



Resultado

mais recentes

o que é?

A seção círculo poético é a espinha dorsal deste site. 64 palavras-chave foram selecionadas pela pesquisadora Nurimar Falci, sob orientação de Morin, para proporcionar um acesso inusitado, lúdico e participativo à obra do pensador francês. As palavras são associadas aleatoriamente aos 64 cubos que formam um cubo maior: clique em "índice" para visualizar a disposição espacial das palavras.

Através do "console" (no canto superior direito, abaixo da faixa vermelha) você poderá navegar para as 6 palavras que fazem "fronteira" àquela em que você se encontra.

Leia o texto de Morin, e escreva sobre a palavra-chave que despertar seu interesse...

cima tras dir esq baixo frente
forma