Morin

Morte

“Heráclito dizia: ‘Morrer de vida, viver de morte’. Nossas moléculas se degradam e morrem, sendo substituídas por outras. Vivemos utilizando o processo de nossa decomposição para nos rejuvenescer, até o momento em que isso não é mais possível.”
Poesia Amor Sabedoria, Bertrand Brasil, 1998.

“A imagem sublime da mãe desaparecida perdeu sua carne, seus contornos. Não sei mais nem mesmo qual é o som de sua voz. Minha mãe tornou-se totalmente mito: ao desaparecer, ela se tornou imensa; sua substância espalhou-se no mundo, deixando-me com um buraco negro no fundo da alma. E à noite, a Lua que tem seu nome, Luna, concentra em si a morte e sua vida.
Sou atraído a cada vez que, à noite, aparece-me a lua cheia:
Lua, lua cheia, lua cheia
Tão convexa e tão redonda
Nesta noite serena
Eu te vejo, clara lua
Sempre pensativa e boa.
 (Antonio Machado)
Meus  demônios, Bertrand Brasil, 1998.

“As ciências do homem negligenciam sempre a morte. Contentam-se em reconhecer o homem pela ferramenta (homo faber), pelo cérebro (homo sapiens), pela linguagem (homo loquax). No entanto, a espécie humana é a única para a qual a morte está presente ao longo da vida, a única a acompanhar a morte com um ritual funerário, a única a crer na sobrevivência ou no renascimento dos mortos.”
O homem e a morte, Imago, 1997.

“A morte tinha levado minha mãe em um vagão de um trem de subúrbio, e tentaram me esconder o fato, contando-me que ela tinha viajado para uma temporada de tratamento na estação de águas em Vittel. (...) Un Hiroshima interior invadiu-me. A morte instalou-se imediatamente em seu ser como dor, horror, segredo. 
Meus Demônios, Bertrand Brasil, 1997.

Escreva sobre Morte

Digite o resultado da operação matemática abaixo:



Resultado

mais recentes

o que é?

A seção círculo poético é a espinha dorsal deste site. 64 palavras-chave foram selecionadas pela pesquisadora Nurimar Falci, sob orientação de Morin, para proporcionar um acesso inusitado, lúdico e participativo à obra do pensador francês. As palavras são associadas aleatoriamente aos 64 cubos que formam um cubo maior: clique em "índice" para visualizar a disposição espacial das palavras.

Através do "console" (no canto superior direito, abaixo da faixa vermelha) você poderá navegar para as 6 palavras que fazem "fronteira" àquela em que você se encontra.

Leia o texto de Morin, e escreva sobre a palavra-chave que despertar seu interesse...

cima tras dir esq baixo frente
forma